O que é GNCC

Apresentação

Prof. Dr. Ricardo Nitrini
CRM: 17011-SP

Ricardo Nitrini

A Neurologia Cognitiva e do Comportamento é a área da Medicina que busca compreender, diagnosticar e tratar os doentes com transtornos mentais causados por lesões ou por doenças que afetam o cérebro.

Inaugurado em 1991, o GNCC faz parte da Clínica Neurológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e é constituído por médicos neurologistas, geriatras e psiquiatras, fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, enfermeiros e dentistas que atuam conjuntamente para que os pacientes possam ter avaliações, tratamentos e cuidados integrais.

Nossos objetivos incluem primariamente o diagnóstico, o tratamento e a pesquisa de declínio da memória, transtornos da linguagem e alterações do comportamento social, além de outros transtornos menos comuns.


O GNCC participa de projetos nacionais e internacionais de pesquisa de novos métodos de diagnóstico e de tratamento. É necessário enfatizar que a participação dos doentes nesses projetos somente é possível depois de que o médico tenha fornecido todos os esclarecimentos e é sempre voluntária. Atendemos também pessoas sem queixas de distúrbios neurológicos para que seja possível definir quais são os desempenhos normais de nossa população.

 

Quais são as razões de consulta no GNCC?


Embora existam muitos tipos de queixas que trazem pacientes à consulta no GNCC, a mais comum é a de declínio da memória. Queixar-se de que a memória já não é tão eficiente quanto na juventude é muito comum entre idosos e na maioria das vezes esta queixa não tem significado mais importante. Mas existem situações em que o declínio da memória é mais intenso, é confirmado por um familiar ou acompanhante, e o desempenho em testes neuropsicológicos é inferior ao de pessoas de mesma idade e escolaridade. Neste caso, quando o indivíduo é independente para suas atividades da vida diária e as executa de modo adequado, o médico diagnostica comprometimento cognitivo leve. Além da forma de comprometimento cognitivo leve em que há declínio da memória, existem outras formas em que as dificuldades iniciais afetam principalmente a capacidade de organizar as atividades cotidianas, ou a linguagem ou habilidades visuais.


O comprometimento cognitivo leve é uma condição de risco mais alto de evolução para demência e por isso merece cuidados especiais. O diagnóstico de demência é estabelecido quando o desempenho em pelo menos duas funções (tais como memória e linguagem ou comportamento e capacidade de planejamento) é inferior ao de pessoas normais de mesma idade e escolaridade e, além disso, existe interferência nas atividades da vida social ou profissional do indivíduo. São muitas as causas de demência, algumas mais raras podem ser curadas com tratamento específico, mas as causas mais comuns são a doença de Alzheimer e a demência vascular.


Outras causas comuns de atendimento no GNCC são as dificuldades de linguagem de caráter progressivo, que podem afetar tanto a fala como a compreensão, e os transtornos do comportamento social em que podem ocorrer desinibição ou outras formas de comportamento inadequado. Sempre que um paciente é atendido com suspeita de comprometimento cognitivo leve ou demência, são realizados todos os testes e exames complementares para verificar qual a causa do distúrbio e, principalmente, para afastar ou confirmar causas que possam ter tratamento específico.


O GNCC tem vínculos muito estreitos com o Centro de Referência em Distúrbios Cognitivos (CEREDIC), centro multidisciplinar do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, onde também são atendidos doentes com problemas semelhantes.